Conselho de Mãe

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Após um ano difícil e cansativo, resolvi que eu merecia uma folga. Mas, ficar em casa não ia me ajudar, então comecei a fuçar no Facebook entre os grupos de viagem que sigo, qual oferecia uma viagem rápida e bacana pro fim de semana. Acabei encontrando um grupo que ia pra São Thomé das Letras, Minas Gerais, lugar tido como tranquilo, bonito e cheio de gente amor e paz. Exatamente o que eu preciso no momento!!!
Depois de entrar em contato com a equipe e garantir minha reserva, cuidei de separar o que ia levar. Malas prontas, só me faltava sobreviver ao dia de amanhã.
***
Sexta à noite. Metrô lotado. Todo mundo querendo curtir a noite e eu só quero chegar no lugar certo, na hora marcada. Aparentemente eu consigo ser pontual, bem como outras pessoas que vão embarcar no mesmo local, mas os organizadores da viagem não. Finalmente depois de quase uma hora de espera, o ônibus chega e todo mundo começa a formar uma fila pra entrar no ônibus. Quando chega minha vez, me sento em uma poltrona na janela, no meio do ônibus. Lugar perfeito, já que se eu sentar muito no fundo, passo mal, e se eu sentar muito na frente, posso perder a diversão que geralmente acontece no fundão dos ônibus em viagens assim.
Pra minha sorte, acabo sozinha com duas poltronas à minha disposição e como sou pequena, posso até deitar pra dormir se quiser. Esse pensamento me atrai e eu me preparo para isso. Só que não consigo, apesar de me sentir exausta. Acontece que a dupla de garotas sentadas à minha frente não cala a boca. Pelo que captei da conversa, elas pretendem passar 6 horas conversando no busão. Oh céus, é sério????? 
Realmente elas conversaram boa parte do caminho, e não consegui pegar no sono, por isso fiquei prestando atenção à conversa das duas. Ei, não tenho culpa se eu fico enjoada quando mexo no celular se estou em um veículo em movimento, e se estou sozinha.
Conversa vai, conversa vem, elas começam a falar sobre suas vidas amorosas e confesso que em alguns momentos tive que segurar o riso para elas não perceberem que eu estava ouvindo. As desventuras amorosas delas inspirariam ótimas comédias românticas.
Uma dessas histórias me chamou a atenção, porque envolvia conselho de mãe e eu me peguei lembrando dos conselhos da minha mãezinha. Dizem que mãe sabe das coisas e é verdade.
Há alguns anos, eu me apaixonei por um homem mais velho. Ele tinha uma situação complicada, já havia sido casado e se dizia traumatizado com relacionamentos. Tivemos um romance intenso e rápido, mas no fim eu fiquei sozinha juntando os caquinhos do meu coração. Tive surtos de depressão, mas tentei fingir que estava tudo bem por causa dos meus pais, só que depois que eu me recuperei e me interessei por outro homem, decidi que seria totalmente honesta com minha mãe. Ela sofreu em silêncio por mim, sem saber o que eu estava passando, e resolvi que não a faria passar por isso outra vez, pois me matava por dentro causar qualquer dor a ela. Considerando meu dedo podre, era óbvio que se eu me interessava por alguém, a coisa toda poderia dar errado.
Enfim, conheci o Gandalf em um grupo do Facebook voltado a pessoas que gostam de cruzeiros e como sempre tive vontade de fazer esse tipo de viagem, me inscrevi e comecei a trocar ideias com várias pessoas do grupo. Gandalf, trabalhava como garçom em um navio e logo começou a conversar comigo por mensagens privadas. Não, esse não é o nome dele, não se preocupe. É um apelido dado por seus colegas, já que ele prepara uns drinks realmente mágicos. Depois de um tempo de flerte, resolvi aceitar conhece-lo pessoalmente. Ele viria a São Paulo em um fim de semana de folga, e nos encontraríamos para comer alguma coisa e nos conhecer melhor.
Eu estava ansiosa, pois fazia um tempo que não saía com ninguém, provavelmente havia esquecido como se fazia para paquerar. Mas, antes de ir, resolvi conversar com a minha velha sobre a situação atual. Contei a ela tudo que aconteceu com meu ex, e que apesar de ainda estar um pouco mexida, resolvi me abrir a uma outra possibilidade. Minha mãe mais uma vez na vida, me surpreendeu com sua empolgação, fazendo diversas perguntas sobre os dois e me pedindo para ver suas fotos.
Quando mostrei a foto do primeiro, ela torceu o nariz e soltou:
- Minha filha, você é tão bonita. Você consegue alguém melhorzinho, não acha?
Eu a encarei com incredulidade diante do seu comentário e dei um riso frouxo. Afinal, beleza não se põe à mesa né??? 
Quando mostrei a foto do segundo, minha surpresa aumentou diante do enorme sorriso que ela abriu:
- Ahhhh, esse sim dá pra andar de mãos dadas no shopping – disse com toda a sua sabedoria.
Dessa vez, gargalhei alto. Minha mãe é uma figura. Mas olhando as duas fotos dos homens que dividiam meu interesse, cheguei à conclusão de que ela tinha razão e fui ao encontro do Gandalf. Só tenho a dizer que quando nos encontramos no metrô, não precisamos de nenhuma palavra para nos entendermos. Nada de sair pra comer, nem conversar. Fomos direto a um motel e tive a melhor noite da minha vida. Depois ele voltou a cruzar os mares no navio, e não nos vimos mais, apesar de manter contato.
As lembranças daquela noite permaneceram comigo durante todo aquele fim de semana e quando retornei a São Paulo, decidi lhe enviar a seguinte mensagem:
“Gandalf, como vai? Agitado como o mar em que navega??? Rsrsr Piada infame, eu sei. Só queria saber quando estará em terra novamente, porque eu gostaria de te ver pessoalmente de novo. Que achas?”
Não demoro a receber sua resposta:
“Achei que nunca ia perguntar, gata kkkkk. Estarei em terra no próximo fim de semana, mas só por um dia em Santos. Alguma chance de você ir me encontrar no porto?”
Mordo meu lábio inferior, pensando e calculando se tenho dinheiro para essa aventura, e antes de concluir o raciocínio, já estou digitando a resposta furiosamente, como se meus dedos tivessem vida própria:
“Certamente marujo! É só me falar local e horário ;)”
Céus! Eu realmente fiz isso??? Engraçado, devia me sentir constrangida, mas não estou, na verdade me sinto bem e empolgada. Hellooooo, foi a melhor noite da minha vida, é claro que estou empolgada!!!! Valeu mãe! Valeu Universo por me influenciar a ouvi-la! Valeu Vida por suas idas e vindas!



4 comentários:

  1. Regiane, você é genial!! To me divertindo a beça com essas histórias!!! <3 :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que linda!!! #momento somos fofas huahuahuahua <3

      Excluir
  2. Nossa, que história bacana! Você tem mais? junte tudo e coloque em um livro. O que acha?
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hida, fico feliz que tenha gostado. Tenho outro conto publicado aqui, Tinderela à procura do amor na era digital, e semana que vem vou postar mais um com tema de Ano Novo. A ideia é ir juntando até ter o suficiente para um livro =D e quando esse momento chegar, conto com o apoio dos amigos!!!
      Beijoooo e Feliz Natal!!!

      Excluir

Que prazer ter você aqui!!! Obrigada pela visita, se gostou do texto acima, me deixe um recadinho e o link do seu blog, será um prazer visitá-lo!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS